Prefeitos discutem imigração internacional na Região Metropolitana de Campinas

A presença dos imigrantes internacionais na Região Metropolitana de Campinas foi assunto principal na pauta da reunião do Conselho de Desenvolvimento, realizada no dia 15 de maio, no município de Itatiba. Para discutir as causas e consequências do fluxo migratório internacional na Região, os Prefeitos receberam o Atlas Temático “Observatório das Migrações em São Paulo”, desenvolvido pela Unicamp e Fapesp. O trabalho foi apresentado pelo Magnífico Reitor da Unicamp – Prof. Dr. Marcelo Knobel e pela Prof. Dra. Rosana Baeninger, Presidente da “Cátedra Sergio Vieira de Melo”, criada com objetivo de produção de conhecimento sobre o tema dos refugiados e o debate para desenvolvimento de políticas públicas voltadas a essa população.

Elaborado para mapear os novos fluxos migratórios no Brasil e acompanhar as tendências da migração internacional de 2000 a 2015, o Atlas traz informações do Sistema Nacional de Cadastro e Registros, da Polícia Federal, do Ministério da Justiça, do Ministério do Trabalho e da RAIS (Relação Anual de Informações Sociais).

De acordo com a Prof. Dra. Rosana Baeninger, nos últimos 15 anos foram registrados 880 mil novos imigrantes no país. “Esse número traz desafios enormes em termo de políticas públicas, primeiro pela diversidade das nacionalidades e depois porque a imigração já não está mais concentrada só nas metrópoles, mas também nos municípios de porte menor”, diz, ressaltando que nesse período, dos 5.570 municípios brasileiros, 3.432 tiveram pelo menos um registro de imigrante internacional.

A Professora apresentou os números dos municípios da região Metropolitana de Campinas. “Nota-se que existe um eixo de São Paulo em direção à Campinas, com destaque para os bolivianos nas cidades de Americana, Indaiatuba, Nova Odessa e Santa Bárbara d’Oeste, mas também do continente africano nos municípios da RMC”,

O Reitor da Unicamp – Prof. Dr. Marcelo Knobel, destacou a parceria com a Agemcamp nas ações da Cátedra e a proximidade com os municípios da Região para desenvolvimento das políticas públicas para a população imigrante. “O apoio da Agemcamp tem sido fundamental para a Cátedra no sentido de integrar os municípios da Região nessa questão dos refugiados, que tem atingido proporções relativamente grandes, com ações que possam acolhê-los da melhor forma”.

Para o prefeito Hamilton Bernardes Junior é importante conhecer o perfil dessa população para que se possa elaborar políticas públicas específicas que as integrem e que atendam às suas necessidades em todos os aspectos, principalmente na área educacional e de Saúde. Ele trata o tema como primordial e oportuno neste momento. “Este trabalho vem ao encontro de uma grande necessidade atual dos municípios, que tem recebido cada vez mais pessoas em situação de refúgio”, ressalta o prefeito Hamilton.

As ações na área de Saúde também foram destaque na reunião do Conselho. A vice-coordenadora do Programa Saúde em Ação Fátima Palmeira Bombarda e a gestora da área da arquitetura e engenharia do programa Maria Cristina Jotten, apresentaram o cronograma de andamento das obras e o processo de entrega das novas unidades de UBS (Unidade Básica de Saúde) e CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) aos municípios da RMC, que inclui finalização da obras, entrega de materiais, vistoria, capacitação da equipe e inauguração.

Compartilhar

ACESSIBILIDADE

Para navegação via teclado, utilize a combinação de teclas: Alt + [ de atalho]

Atalhos de navegação:

Tamanho da Fonte/Contraste
Por Favor, aguarde...