Governo de São Paulo prorroga quarentena até 31 de maio

O governador João Doria (PSDB) prorrogou a quarentena em todo o estado de São Paulo até o dia 31 de maio. O anúncio foi feito no início da tarde da sexta-feira, 8 de maio, em coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

"Teremos que prorrogar a quarentena até o dia 31 de maio. Queremos, sim, em breve juntos poder anunciar a retomada gradual da economia como, aliás, está previsto no Plano São Paulo. A experiência de outros países, e nós temos utilizado essas experiências aqui, mostra claramente o colapso da saúde e, quando isso acontece, paralisa tudo", disse Doria.

O governador defendeu que a flexibilização das medidas restritivas, neste momento, prejudicaria não apenas o sistema de saúde, mas também a própria recuperação econômica do estado. Com a decisão, permanecem autorizados a funcionar apenas serviços essenciais. A ampliação do isolamento se deve ao aumento do número de casos e mortes.

O medo é o pior conselheiro da economia, prejudica o consumo, afugenta investimentos e ataca os empregos. A quarentena, felizmente, está salvando vidas em São Paulo e em outros estados. “Pessoas que poderiam ter adoecido e falecido estão vivas e agradecendo por estarem vivendo e convivendo com seus familiares", defendeu Dória.

Segundo o Governo do Estado, a busca sempre foi entre 50% e 60% para iniciar a flexibilização da quarentena, mas as autoridades de saúde apontam que a taxa ideal seria de 70%. O estado nunca chegou ao valor ideal, sendo as maiores taxas de 59% sendo registradas apenas em domingos.

A administração estadual acredita que até o final de maio, todas as 645 cidades do estado terão casos confirmados da doença. Desde o início da pandemia, o Estado de São Paulo se mantém no epicentro da doença no país. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o distanciamento ainda é a medida mais eficaz para evitar a propagação da Covid-19.

Para o prefeito de Pedreira, Hamilton Bernardes Junior, o Município deve seguir as orientações do Estado, porém está recorrendo da decisão da juíza Deyse Lemos de Oliveira que, atendendo o Ministério Público, responsável pela Liminar, declarou ilegalidade dos artigos 8º, 9º, 11º e 12º do Decreto Municipal Nº 2869 de 20 de abril, que tratavam da flexibilização do funcionamento do comércio. “Nossa Secretaria de Negócios Jurídicos está recorrendo da decisão, pois acreditamos que todas as medidas adotadas até o momento pela Administração Municipal nos dão segurança que estamos no caminho certo”, enfatizou o prefeito Hamilton Bernardes.

 

DICOM – DEPARTAMENTO DE IMPRENSA E COMUNICAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEDREIRA-SP 

 


Compartilhar


ACESSIBILIDADE

Para navegação via teclado, utilize a combinação de teclas: Alt + [ de atalho]

Atalhos de navegação:

Tamanho da Fonte/Contraste
fechar
ACESSIBILIDADE
Carregando... Por Favor, aguarde...