Carro com a imagem de Santa Rita de Cássia percorrerá os bairros de Pedreira

Em 2020, as comemorações de Santa Rita de Cássia estarão acontecendo via internet, com as transmissões pelos canais do YouTube e Facebook da Paróquia de Sant’Ana, celebradas pelo Padre César Domingues de Oliveira.

A Novena de Santa Rita foi iniciada na quarta-feira, dia 13 de maio e prossegue até a quinta-feira, dia 21, sempre às 15h e 19h. Na sexta-feira, 22 de maio, “Dia de Santa Rita de Cássia”, serão transmitidas missas às 15h e às 19h30. No domingo, 24 de maio, um Carro com a imagem de Santa Rita estará percorrendo os bairros de Pedreira.

Segundo informou o Padre César Domingues de Oliveira, serão cumpridas todas as medidas restritivas sanitárias referentes à pandemia. “A Capela localizada no bairro Nadir Figueiredo permanecerá fechada durante todos os dias, por esta razão, convido os fiéis para acompanharem nossas transmissões pela internet nas redes sociais da Paróquia de Sant’Ana”, concluiu Padre César.

Santa Rita de Cássia é a santa das causa impossíveis, das mães e esposas. No dia 22 de maio, é celebrada a festa em sua homenagem. Rita de Cássia nasceu em 1381 na Itália. Ainda criança, já demostrava vocação para a vida religiosa. Porém, foi obrigada a se casar, aos 12 anos de idade, com Paulo Ferdinando. Este era um homem violento, que batia nela. Durante 18 anos, Rita tolerou essa vida e teve com o marido dois filhos gêmeos. Ela pedia sempre a conversão de Ferdinando a Deus e, um dia, seu pedido foi atendido.

Seu esposo se arrependeu de tudo o que havia feito. Porém, logo depois, ele foi assassinado. Seus filhos ficaram revoltados com isso e desejavam matar o assassino. Rita queria fazê-los desistir da ideia, mas não mudavam de opinião. A santa, então, rezou e pediu a Deus que intercedesse, já que achava melhor ver seus filhos mortos a se tornarem assassinos. Um tempo depois vieram a falecer de uma doença grave, não sem antes perdoar o assassino de seu pai, convencidos pela mãe.

Como havia ficado sozinha, Rita buscou o convento das agostinianas de Cássia. Mas a sua entrada não foi permitida, já que ela não era mais virgem. Ela tentou novamente mais duas vezes, porém teve sempre uma resposta negativa. Conta-se que, rezando, ela foi milagrosamente transportada para o interior do convento. Depois disso, ela foi aceita e viveu no local até os 76 anos.

Por sua devoção a Jesus Cristo Crucificado, Rita pediu que Deus lhe desse uma lembrança sensível da Paixão do Senhor. Então, um espinho se desprendeu da imagem de Jesus Crucificado e cravou-se na testa da santa. Essa ferida ficou em seu corpo até a sua morte, o que causou muito sofrimento. Rita faleceu em 22 de maio de 1457. A história revela que uma luz invadiu o local onde ela estava, assim como um perfume que alcançou o mosteiro inteiro. A ferida do espinho tornou-se brilhante e cor de rubi.

 

DICOM – DEPARTAMENTO DE IMPRENSA E COMUNICAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEDREIRA-SP

 


Compartilhar


ACESSIBILIDADE

Para navegação via teclado, utilize a combinação de teclas: Alt + [ de atalho]

Atalhos de navegação:

Tamanho da Fonte/Contraste
fechar
ACESSIBILIDADE
Carregando... Por Favor, aguarde...